Jukebox




Zoe e Mia
Zoe, se o seu avô Sílvio estivesse vivo, ele poria meia tonelada de músicas clássicas que espragatariam seus delicados tímpanos. Seus preferidos eram Mozart, Lizt e uma orquestra que interpretava grandes obras chamada Paul Mauriat. Todos ouvimos em algum momento Paul Mauriat com L’amour Est Bleu, não? Depois ele passearia por Luiz Gonzaga e terminaria com moda de viola caipira. A avó iria de The Beatles, Tim Maia, a moda de viola também mas lhe viciaria Milton Nascimento e RPM. Eu nunca gostei das músicas clássicas que seu avô punha... Era torturante aqueles violinos, suas explicações sobre opus ou movimentos, as coleções de lojas e até as que saiam em jornais.


Arte por Dan Rodrigues (tiago, dan, alexandre e jorge)
Seu pai aqui passou pelo punk no colégio, foi chamado para tocar baixo numa na banda do amigo Leandro, o Embrião Atômico. Era o começo de uma era meio rebelde, jaqueta jeans rasgada, calça com o joelho cortado, corrente com cadeado no pescoço e coturno militar. E eu vivia ao lado de muitas coisas antigas que fervilhavam Toy Dolls, The Ramones, Dead Kennedys no Madame Satã e a underground Hoellish (não sei escrever esse  nome, era em alemão) e o pós-punk, Joy Division, Echo & The Bunnymen, The Smiths etc... O post punk hoje é chamado de indie e já foi chamado de gótico...  Eu vivia entre punk, rockabilly, gótico, tudo na paz. Mas essa era a onda inglesa, nos EUA, por mais que houvesse uma similitude, tinha sua característica própria com  Sonic Youth e Hüsker Dü. Enfim, mas eu vivia no Brasil, queria saber que músicas tocavam além de "Coração de Estudante" que ouvi  incessantemente nas Diretas Já, RPM, Roupa Nova ou Caetano Veloso, que meu pai o chamava de "filósofo". Comi os grupos antigos e novos desse rótulo chamado MPB, sambas e demais ritmos brasileiros ou de fusão. Apareceu o grunge, Pearl Jam e Nirvana eram referências junto com Mudhoney, Melvins e TAD. Isso sem contar a "a banda mais perigosa do mundo, os Guns N'Roses, Metallica com seu orgânico black album e o britpop do Blur e Oasis bombando nas rádios. Eu vivia nos "sebos" em busca de cultura musical e trabalhar na revista Bizz. A revista citada faliu e por consequência, eu não entrei lá. A única banda com que pude tocar e tocar ao vivo foi o Paul is Dead (foto) em 2005, nossa única música foi "?", isto é, não tinha nome, mas o guitarrista Dan a fez para uma amiga que estava com câncer e pusemos um título band-aid, "Morena". Tocamos no Brit Bar, na Vila Madalena em São Paulo, um set list forrado de covers de White Stripes a Undertones. Possivelmente eu já deixei a minha caixa de cds e toda coleção da Legião Urbana no seu quarto juntamente com a caixa dos Paralamas do Sucesso. Aí, ao lado de sua estante de livros. 

30 de janeiro de 2013, você tinha 3 meses e estava com a amiguinha Maya. Esse que lhe escreve tem 37 anos, deixou os alargadores de 2cm nas orelhas, os piercings e o cabelo comprido, mas continua rock and roll na veia.

Hoje ouço música clássica com prazer e as ponho para você dormir juntamente com Baby Einstein, Babies Go e Rockabye Baby.

Zoe, seu pai queria ser baixista de banda de reggae

Você nasceu ao som de The Beatles na sala de parto. 



Trilha (set list que tocamos no Brit Bar)
Seven Nation Army - The White Stripes
Teenage Kicks -  The Undertones
Do it Clean - Echo & The Bunnymen
The One I Love -  REM
Hey To Say I Told You So - The Hives
Up the Bracket - The Libertines    
Morena - Paul is Dead

  





10 comentários:

  1. Nada contra rock, com tanto que seja ouvida bem longe de mim kkkk, ainda bem que Zoe escuta outras músicas.

    Excelente semana para vocês.

    Tri-beijos Desirée
    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Digamos que eu até gosto de rock, desde que não sejam iguais aos da Banda Kiss (ahaaa as musicas deles me doem os ouvidos kkkk)
    Mas prefiro outros tipos, ainda bem que Zoe ouve Legião, essa eu gosto =)
    Bjus
    http://seraquevousermae.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Herança rica que papai deixa! Já imaginou ela cantarolando Beatles? :)
    Bjs na linda família

    ResponderExcluir
  4. Jorge do Céu!
    A minha irmã era leitora assídua dessa revista Bizz... Foi através delas (da revista e da minha irmã) que conheci A-HA, U2, BON JOVI, entre outros... Fiquei aqui lembrando do QUEEN, do RPM...
    Meu Deus! Recordar é viver!

    E, feliz da linda Zoe, que tem um paizão com um repertório tão bacana!!!

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Amo rock e sempre coloco pra Ninoca ouvir. E ela se empolga toda e já começa se sacudir.
    Sempre digo que ela tem ótimo gosto pra música... kkkk
    U2, Pearl Jeam. The Beathels, Roling Stones... entre outros... adora!!!
    É isos, ae Zoe.... rock pra sempre! Menina esperta!

    ResponderExcluir
  6. Que post bacana. Eu adorava ouvir as histórias da minha avó sobre o tempo em que meu pai era mais novo. Como ele era, suas preferências, o que fazia... Zoe vai saber de tudo pelo próprio pai :)

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Daqui a alguns anos a Zoe certamente vai amar lê esse seu post e muitos outros mais... é muito bom saber como eram os nossos pais quando eram mais jovens, melhor ainda se são eles mesmos que narram as suas histórias... Abraço!!!!

    ResponderExcluir
  8. Eu tb adoro Legião!!! Já ouvi muito Ramones, Guns, Pearl Jam...
    Mas tb adoro Tim Maia!
    E espero conseguir transmitir tudo isso para minhas filhas...

    ResponderExcluir
  9. Zoe vai amar saber de tudo isso mais tarde! E vai receber muitas influências suas, gostando ou não. rsrs! Beijos pra vcs!

    ResponderExcluir
  10. Uhuuu! Papai-rock-na-veia! Aqui sou bem eclética, mas adoro rock também, com bastante MPB, música erudita, até moda de viola caipira. A Sementinha aqui de dentro da pança já ouve de tudo. Hoje no carro viajando por 3 horas ouvimos U2, Marisa Monte e Teatro Mágico. Amo música e se depender de mim Sementinha irá gostar também.
    Amei a foto de vocês!
    Beijos,
    Rtia

    ResponderExcluir

Sigam-me os bons

Os escolhidos

Os escolhidos
Sim, porque eles nos escolheram.

Quem sou eu

Minha foto
Nasci em 1976 em São Paulo/Brasil - Brasil. Vivo em Lima/Peru. São-paulino, jornalista e pai de Zoe, minha amada filha com minha doce Katy, peruana de Lima. Sou um cara que escreve sobre experiências, crônicas e tudo que se relacionou com a gravidez múltipla dela e crescimento da filhota. Na semana 34 tivemos a ida de Mateo de volta ao paraíso. Zoe ficou para ilustrar nossa vida num 29/10/2013 e nasceu com 36 semanas. Uma prematurinha linda que cresce saudavelmente.

Seguidores