2013, 2014 e sempre


Obrigado a tudo que passou até o 31 de dezembro de 2013.
Obrigado a tudo que virá em 2014.
Obrigado por 2015... 2020... 2025... 2050... 2100...

Que todos nós (isso incluem-se todas as formas de vida, até o reino fungi rs) tenhamos luz, saúde, comida, roupa para o frio, falta de vergonha para estar sem roupa e paz de espírito. E din-din para virem a visitar os tios aqui no Peru e nós a vocês hehe. Todos estes desejos para cada um de vocês e suas famílias.

Zoe, Katy e Jorge


Sou banguela da fralda amarela.























Ah, há dois meses a fórmula de Zoe se mistura com uma água mineral que nasce nos Andes.
A marca? San Mateo.



Trilha
Rhapsody in Blue - Gershwin



S2 meses


Eu era uma minhoquinha gostosa de apertar, tímida mas forte. Uma fonte de vida onde cada um queria me levar para sua casa. Mas escolhi somente a uma: la de mi mamita Katy y de mi papito Jorge.
Um conselho? Fé.

Im pretty and I know it

Love is a verb




































Trilha
DeVotchka - Till The End Of Time
História de uma Gata - Lucinha Lins



A Viagem de Théa (Zoe) e o Natal


Natal Olímpico


A família em casa, tempo de reflexão, busca da paz (eu a busco há 37 anos...) e preces ao homenageado do dia, o Sr. Jesus Cristo. Para mim, ele foi um grande yogui, uma pessoa, ou forma iluminada de como melhorar as coisas aqui neste plano de vida, um soldado Ryan em meio a uma humanidade mesclada com boas pessoas entre ineptos. Eu nem aponto o dedo para nenhuma fé porque seria sujo fazê-lo, cada um cuida da sua vida como rege sua fé e ponto. O bonito seria se cada um respeitasse, né? Enfim, o Natal começou antes que Zoe chegasse... Irei mostrar a ela como está no Livro A Viagem de Théo, de Catherine Clément. Estamos no Natal? Há de se equilibrar com o "Pop Natal" mas que entenda os ensinamentos que o bom senhor de barba quis passar. Claro, não sei como explicar como Noé espremeu os vertebrados, invertebrados, bactérias e reino fungi na arca, mas o respeito e o amor citados podem ser propagados em nossas vidas. E horas antes da ceia, levamos a Zoe a conhecer o Papai Noel. Óbvio, ela ainda não entende lhufas quem é esse senhor, mas um dia ela vai entender. Estava um calor de uns 22C aqui e esse senhor tinha mais umas três visitas com essa roupa. Quando cresci, eu soube que Papai Noel são os nossos pais. 


E olha, é complicado dizer nunca, mas Katy e eu optamos em n-u-n-c-a m-a-i-s vestir o papel de anfitrião de Natal... Creuindeuspai... Preparar a cena foi para chamar os Avengers... E olha que éramos somente 8 pessoas em casa entre família daqui e amigas brasileiras que são família também. Mas com Zoe a rotina muda. Fui o último a sentar na mesa para fazer as honras. Dois minutos e ouvimos de forma oníssona: Buááá... Para mim foi super, me senti "papai", me senti responsável. O mesmo se repetiu no almoço do dia seguinte, e para lavar as coisas da noite anterior?...

Zoe aos dois meses (quase)


E ontem ela tomou uma dose de quatro vacinas. Eu gravei rs... Chorou, mas passou logo. Peso e tamanho excelentes e já tem margem de crescimento normais para uma prematura.


Loucos por sua conquista

E a Louca do Bebê recebeu seu biscoitinho por Natal. Fé, sempre fé. Felizes por vocês!


Obrigado a todos (as) que passaram aqui para deixar um pedaço de seus corações
Logo, logo passarei pelo cafofo de vocês. :D




Trilha
Mandy - Barry Manilow


Zoe, o mungunzá de Natal


E o nosso doce de milho branco chegou e é atração do Natal desta existência. Mil vezes obrigado!

Ontem fizemos nosso primeiro passeio pelas redondezas. Super tranquila como sempre, somente deu piti para retirar os cintos de segurança do carrinho. Eram três quarteirões até a padaria. O que mais cansou foi Kiara, ela pensa que é quem deve levar a manada... 

Bom, Zoe e família desejam que suas celebracoes alcancem o pedido e o agradecido. Que o espirito da fé de cada um (a) seja abençoado a cada prece, independente de cor, raca, casta, roupa, ou pasta de dente. 

Agradeça todos os dias, pois a vida não é catalogo de cosmético que pedimos somente  quando necessitamos de algo.


Ah, eu sempre preparo o peru de Natal aqui para a galera. E desde as 7h já estou na cozinha. 

Olha a Kiara, o "macho alfa" da manada

Zoe e a bolacha de gengibre dizem: Feliz Natal, Mateo.














































Trilha
Andança -  Beth Carvalho


Katy, profissão: João-de-barro


El cuarto de al lado

Assim era até a semana 35
Seu quarto era compartilhado. Era de outro modelo. Era neutro. Mas e depois de nascer? Necessitava da mãe-joão-de-barro: Katy.
Eu sou uma besta apocalíptica em questão de vestir e muito menos de decorar a casa... Por isso me casei com uma arquiteta de interiores. Mentira! Não foi por isso, não (risos), mas foi ela quem projetou as coisas aqui dentro de casa. Eu somente dei pitaco em pintar uma parede de preto aqui em casa, acho que nada mais. De resto, fico pianinho...

Então, o quarto dos gemeos necessitava mudar algo para Zoe. Mas como enfiar meia tonelada de coisas femininas em um quarto que já estava ocupado? Vendendo algumas. O carrinho, acho que já comentei aqui que, por obra do divino gente-boa Jesus Cristo, do guerreiro São Jorge, da limenha Santa Rosa de Lima, da brasuca NS Aparecida, da gueye NS Guadalupe e dos programadores do site OLX, vendemos a uma mulher também mãe de gemeos. Um casal aqui em Lima. "Eu sempre quis esse mesmo carrinho, mas eu não podia comprar." Era para ser dela. E quanto a jogos de cama, enfeites e carseat extras? Mandamos por um amigo que foi a Miami semana passada. Imagine o tamanho do trambolho desde Lima até lá. Eles levaram grátis... Chegando lá, a melhor amiga de Katy levou a Babies rUs e eles gentilmente, trocaram por um vale de compras que proporcionou comprar tudo para Zoe.

Direto dos céus.

Me llamo Zoe, y tu

Meu nome é Zoe.
 
E agora me perguntem... Como trouxeram? Mais uma obra divina, caiu um treinamento para meu sogro no Canadá e ele passava por Miami. A amiga de Katy levou para ele até o aeroporto e meu sogro, bonachão desde pequeno, trouxe tudo para Lima.

Optamos em evitar o tradicional, quase decreto-lei, a cor rosa. Pusemos roxos, tons de rosa e cinza.
A propósito, a filhota segue dormindo conosco na cama. Vamos tentar o quarto com ela sozinha em janeiro. Essa noite ela dormiu 6 milagrosas horas seguidas. Receita? Não sei, mas demos de comer quase as 23h00 e banho (já está calor em Lima).
 
 
Era uma vez, um 29 de outubro

Como uma brincadeira que se tornou uma amizade, Ritinha do Melancia na Barriga, brincamos também que se Zoe nascesse no mesmo dia 29, aniversário da autora do blog citado, eu ganharia uma camisa do Boston Celtics. Ritinha é casada, está gravidíssma e vive em Boston. Mas muito doce, mandou um babador para Zoe também. Obrigado pelo carinho! Adoramos mimos, muita saúde e paz para esses dois lindos! hehehe Foto minha com a camisa? Minha barriga é tímida e não quis aparecer. Alguém aí disse Herbalife? Se alguém quiser mais desafios, eu entro, já ganhei até carro em rifa (papo sério).
 
Apelido novo: mexerica. Parece que será (é) ruiva.




















Trilha
Stay on These Roads - A-ha
In Spite of Me - Morphine


Tá amarrado!


Ai, mizifio!

Suncê num sabe, dois temas saltaram à minha mente... Quarta-feira passada trombei um caboclo aqui do trabalho a caminho do banco. Dizem que nos parecemos fisicamente (pense em dois corpinhos de 1.70 estilo jujiteiro) e ele estava a caminho de retirar umas fotos da filha dele que nasceu. Alesia, sua filha, tem dois meses, e eu tenho a Zoe de 40 dias. Ambos com filhas. Enfim, a coisa é que recordamos que em nossa infância, eu pelo menos, lembrar de quando éramos bombardeados com uma câmera em  passeios, visitas a casa dos tios e a infalível festa de aniversário. Yashika, Kodak e Fuji rondavam lá em casa (até hoje temos as câmeras em casa). Nessa época (romântica ou não) tínhamos de comprar o filme, enrolar (se não soubesse, tinha de aprender), comprar duas caixas de pilha (se fossem as alcalinas, tipo Duracell, uma dava para o gasto), dar um talento no estojo e rezar para cada foto sair dizendo: tá amarrado! Minha mãe era a única que dizia: "crianças, têm de posicionarem-se aqui", quando tinha de usar a luz natural e evitar que ficasse escuras. E o flash? E os olhos vermelhos?...

Depois de umas analógicas, tipo Zenith, comprei minha primeira digital, uma Sony Cybershot eu comprei com uns... Não lembro hehe. Mas foi mais ou menos com 20 anos... O que havia sobrado da rescisão de um trampo, comprei essa de 2.0 MP. Afemaria, a redenção... Mas o cabaço aqui tirava as fotos e depois diminuía no Photoshop para que entrem na memória do Compaq (nossa, aposto que você teve um desses de 2GB em casa como o primeiro da família) para não gastar o espaço do computador. Resultado, tenho minhas fotos mas com baixa resolução... Um zéruela-prego, não?

Então! Sem perder o foco, Jorge!
Antes as fotos tínhamos de rezar para que saiam... Quando iniciamos essa odisséia sobre gravidez, eu já estava lá, gravando e tirando fotos. Parecia uma mistura de Sebastião Salgado com o carinha do filme Atividade Paranormal de tanta gravação. Até que a mamãe também entrou no baile fotográfico com o telefone. Katy lotou a memória do telefone dela duas vezes. Os 16 GB foram para o espaço em 36 semanas. Temos muitas fotos... Imagine todas essas apps de fotografia e edição para telefones. Afinal, eram dois anjos que estava ali e nós mais babões que cachorro na frente dessa máquina que vende frango assado e assiste a gordura fazer tssss tsss tsss tsss na brasa...Resultado, comprei um HD de 1TB para guardar tudo aí. Não confie nos CDS, eles estragam mais rápido.

E vocês, como foram e vão com as fotos? Alguém no Instagram?



Lomography

Por meu aniversário, no mês passado, ganhei uma Lomo Action Sampler de meus amigos do trabalho (Omar, Andrés, Carlos e Thais (Thais é a madrinha de Zoe e trabalha comigo). Espero que eu possa tirar umas fotos neste fim de semana com uma analógica depois de anos... Vai ser super, uma Lomo é "mara" demais. Chiquenoúrtimo como diria uma amiga mineira. Posso contar uma piada de mineiro?
Um gringo passeia pelo interior de MG com seu Mercedes e bate no carro de um mineiro. Ambos descem para ver o estrago e o gringo: "Hello?". O mineiro: "Não, sómassôumpouquin"



 Bebês prematuros têm tratamento com música
Aqui ó.



Trilha
Carinho Bonito - Arturo Zambo Cavero & Óscar Avilés
Memory - Paul Mauriat 
Baracunatana - Aterciopelados


Pais Mirabolantes: As Mulheres


Tá suave, nem vale reclamar no Procon, hein. rs

PAIS MIRABOLANTES, com o patrocínio das cuecas ecológicas de palha do Seu Zé.

Passa lá e confira nosso novo bate-papo aqui.


martinho-da-vila-mulheres-sigle-promo-frete-gratis_MLB-F-190018467_9527


Honey Boo Boo Pirata


Ontem uma amiga de Katy foi a casa para visitá-la. Se soubesse que seria da forma que foi, por Katy, essa família j-a-m-a-i-s haveria passado pela rua onde moramos. E se eu houvesse chegado em casa a tempo, talvez o espírito do capeta não tinha tomado conta do filho maior dessa mãe sem o mínimo respeito pela casa alheia. Eu haveria chamado o padre de "A Profecia" para exorcizar ao fedelho e o juizado para denunciar a essa mulher. Sorte que o pai deles não veio...

Chegaram cedo... E foram tarde. Segundo relatos de toda a família, foram horas de terror, juro, terror!
(voz com efeito de megafone): "Jorge, eu me senti tão mal, minha mãe praticamente salvou a Zoe" (Katy, sobrevivente de uma tarde angustiante). É uma amiga dela que vive em uma fazenda na Pensilvânia, EUA, e estava de passagem aqui por Lima para conhecer a Zoe. Eram duas crianças, o menino maior que a irmã e a progenitora-sem-amor-por-si-e-pelas-crianças-e-sem-respeito-pela-casa-alheia.

Primeiro ato:
A troca de fraldas de ambos... A senhora mãe dos mini-soldados-do-apocalipse têm suas fraldas trocadas no chão. Sim, no chão. A dita mãe lhes deita no chão e troca. "Lá no interior da Pensilvânia, assim se faz com a criançada", complementa.

Segundo ato: a quase garrafa de água voadora
O menino na qualidade ainda de exorcismo primário, que na verdade não tem culpa total -a culpa era dos pais que não sabe delegar e digirir seus filhos- com uma garrafa fingia fazer coquetéis! E booooom, a garrafa caía na mesa (de vidro). E Katy com aquele sorriso amarelo de "ha, ha... que menino travesso, não?"

Terceiro ato:
A filha jogando as bolachas no chão. A empregada já estava cansada de recolher as que caíam... Kiara, nossa Golden Retriever se esconde em seu quarto como se pudesse prever a tsunami que os  mini-godzillas fariam em casa.

Quarto ato:
Minha sogra, escutando ao barulho, gritos que vinham de casa pela baderna mirim, vem e leva a Zoe para sua casa: "Com licença, adeus", seca e eficiente. Ela é minha vizinha.

Quinto ato:
Já totalmente possuído e quase que girando a cabeça para trás, o menino pega a terra dos vasos da varanda e começa a jogar no carro do meu sogro. E num súbito de cólera, pisa na terra e começa a andar com o pé com barro no sofá. Em todas as almofadas.

Pausa para ir ao banheiro:
Alguém aí deve estar se perguntando: e a mãe? Respondo: em que momento ela esteve com essas crianças? Não será agora que vai tomar as rédeas da situação.

Sexto ato:
A empregada foi para a casa da minha sogra. Não aguentou. Katy liga pra minha sogra: "Mamãe, e Valeria?". Sogra: "Ela não vai para aí não".

Epílogo:
Katy teve uma crise digestiva devido a tensão de uma mãe omissa. Resultado: a árvore de Natal meio torta, paredes sujas, chão sujo de bolo, escada do prédio (são somente quatro andares) suja de barro, sofá sujo de barro, carro do sogro sujo de barro e plantas. A empregada: "nunca vi crianças assim, dona Katy, pensei que incendiariam a casa".

Sim, são crianças. E Katy, segundo ela, não consegue interferir nesses momentos a uma criança. Eu vou por aí, mas aconselhar não corta o braço de ninguém. Ela diz que essa tarefa de ogro é minha. E eu cumpro com um enorme prazer escorpianino.

Kiara roubou a chupeta de Zoe e ficou com ela.


O que realmente me deixa "P da vida" é que essas crianças não fazem isso em suas casas! Katy ainda disse: "Eles estão ligados no 220V, não", e a mãe deles, com a maior cara de pau: "Não, em casa eles não podem fazer isso". O mesmo caso das crianças que foram em casa há um mês atrás e que tocaram o terror em casa, em suas casas, eles não fazem isso. Por que na minha?

No programa Here Comes Honey Boo Boo, TLC apresenta a uma família onde o sarcasmo e a ausência de regras que transforma costumes em um coquetel televisivo de más atittudes respigada com falta de higiene. Ontem esteve a versão pirata em casa.




Ah, hora do relax


Esse foi o cartão que eu havia bolado para o aniversário de um mês de Zoe que coincidiu com o de aniversário de Katy.








Trilha
Roadhouse Blues - The Doors
Tardei - Rodrigo Amarante











BC-Pirata: A primeira semana com o bebê


Hoje é dia de uma BC...

... e ninguém me convidou.. Judiação comigo, hein!

Em casa com minha Mini Me
Bommm... A minha primeira semana (com um megafono) foi super tranquila. REPITA: ... e ninguém me convidou.. Judiação comigo, hein! Não, repita como foi sua primeira semana, Jorge: super tranquila.

... E ninguém me convidou.. Judiação comigo, hein! Basta, Jorge!
Zoe chegou à casa numa situação atípica. Conviveu com o irmão natimorto por duas semanas na barriga e chegou à casa num 01 de novembro, Dia de Finados aqui no Peru. Era um sábado. Ato seguido, 02 de novembro, Dia de Finados no Brasil. Quando você pensa que já foi o suficiente... Mas olha, eu comento isso numa boa, não acredito que a morte seja o fim de tudo, é apenas o fechamento de um ciclo. Além do mais, estivemos celebrando sua chegada.


Na maternidade
Na maternidade (... e ninguém me convidou.. "Judia de mim, judiaaa") (Escapou, cacilds!) tudo era azul, eu quase me sentia nas maternidades tipo Star Wars. As pediatras, assistentes e funcionárias que somente cuidam dos bebês e mãe eram uns amores. Eu daria um abraço em todas, mas passei levando mimos para todas elas. Apesar de tudo, eu estava super feliz. Algumas mulheres da UTI me odeiam, pois soquei a porta de lá querendo saber da minha esposa assim que saiu da sala de parto. Depois de insistir por cinco vezes, veio uma enfermeira: "Senhor (com o olho tremendo de raiva de mim) dê-me cinco minutos". E bateu a porta na minha cara. Mas me chamou hehe. Então, lá Zoe vinha toda cheirosa, e não reclamava de nada. Ela trouxe a paz, a inspiração e o amor, desde que era gerada, que necessitávamos.



Comida
Foco, foco, foco, minha gente... Chegando em casa, já comentei aqui que Zoe deu um piti e foi aquele perrengue federal para comprar o Similac 1 que esquecemos. Passamos essa semana dando banho de gato dela com algodõezinhos e água morna. Ela nunca reclamou disso. Depois de uns três dias apareceu a tia da Katy, que é enfermeira e deu um banho de verdade para tirar a inhaca das dobrinhas que começacam a aparecer. A mamadeira era sossegado de dar, aprendi em dois palitos a preparar. Mas mãe é fogo, quase dose para leão, quer fazer tudo à sua maneira, não me deixava participar muito. Por pouco perco o espaço até para a sogra. Meus sogros estão babando dela, creio que, além do amor, eles passaram por algo complicado, o de deixar os filhos com o cuidado com os pais deles, ou seja, os avós de Katy e meu cunhado porque estavam rompendo o lombo no trabalho. Hoje eles podem ter ideia de como foi isso, de cuidar de um bebê mais tranquilamente.

Fraldas
Olha, aqui é unânime: Huggies. Aguenta um caminhão-pipa de urina. Ah, RN-Prematuro.

Roupas
Provou várias de recém-nascido (derrrrr, obvio).

Dormir
Manteve horários que seguem até hoje. Dorme na cama conosco. Mas já vamos passar para um berço ao lado.


Eu tava enjuriado porque não me chamaram, mas eu também não sei como participar. hahaha Brincadeira, viu. Eu que me auto-convidei ho ho ho

O baby blues as vezes toca lá em casa sem ser convidado. Mas eu o convido para sair.





Trilha
Olga, I Cannot - Toy Dolls (ouçam a versão ao vivo aqui)




"No silêncio eu não ouço meus gritos"


...um bebê que chorou dentro da barriga. Foi Mateo.

Há uns dois meses atrás, eu publiquei um relato sobre isso no dia em que ocorreu... E apaguei horas depois por superstição. Mas Katy e eu lembramos claramente que ouvimos um "chorinho" de criança que veio de sua barriga, e veio do lado do Mateo. Depois de reagir ao evento com um "você ouviu?", revirei a web em busca de relatos e não achei nada, já que isso naturalmente é impossível. Alguns diziam haver ouvido. Chamei ao médico, aquele sanguedebarata que foi o nosso primeiro GO, e ele por telefone confirmou o que qualquer médico diria: "é impossível". No dia seguinte, já no consultório, comentamos o ocorrido e ele, como se fosse o Colosso de Rodes em forma de gelo, nos olhou como se dissesse: "vocês dois são uns lunáticos". Eu não sei de que esse doutor vai morrer, mas eu sei que de coração ele não vai, pois isso ele não tem. A vida é um bumerangue, dr., tudo tem volta.

No dia 16 de outubro Mateo ainda estava vivo e tinham, junto a Zoe obviamente, 34 semanas. Era aniversário do meu irmão neste dia. Durante a madrugada do dia 17 ainda sentíamos seus batimentos. Tenho a clara certeza que senti sua energia... Um feixe de luz atravessava meus dedos. Zoe nasceu com 36 semanas.

Às vezes em casa, durante a noite, enquanto caminho pela casa com Zoe, ela olha um ponto fixo no teto e sorri... Viajo em meu mundo particular pensando que é Mateo, como um anjo para ela. Zoe nunca nos dá esse trabalho olímpico que dão outros bebês, ela não chora de estresse, nem de nada... Às vezes penso que é ela, as vezes penso que somos nós, nós que passamos por algo terrível e que a vida disse "já basta nessa casa".

Sei que isso parece um prolegômeno, mas não estou buscando uma resposta e muito menos um consolo. Quero apenas estar em paz comigo. E por acaso, caiu hoje.

O desenho abaixo era para o dia 17 de outubro, data de sua ida de regresso ao paraíso. Foi o último que fiz dos gêmeos...

 Paz.








 













































Trilha


Song for a Son - The Smashing Pumpkins



Beijinho, beijinho. Pau, pau!


Pow!

A secretária e uma desenhadora gráfica aqui do trampo há 6 anos atrás estavam grávidas de 8 (O-I-T-O) meses quando seus "companheiros" (a luta continua até aqui) as deixaram. Os ditos cujos do sexo masculino envolvidos alegaram: incompatibilidade de gênios... Outra amiga, quando estava grávida de cinco meses, descobriu que o marido mantinha uma amante. Ontem, a amiga de outra desenhadora aqui, grávida de 6 meses, foi deixada pelo esposo-caso-namorado-ficante. Motivo? O cururu é ator-bicho-grilo-paz-e-amor e justificou sua saída de campo porque recebeu um "chamado divino" que teria de voltar ao palco e que, segundo ele, um filho engessaria seu futuro como ator. Há 20 anos atrás em São Paulo, outro amigo meu no colégio se tornava pai de quatro crianças gestadas e nascidas por quatro mulheres diferentes em um mesmo ano... Não cuidou de nenhuma que eu lembre. Essa galera faz parte de alguma seita?


Comigo, em uma oportunidade, a menstruação de uma ex estava atrasada... Nossa, acho que eu revirei São Paulo em busca de consolo psicológico na casa dos amigos com a frase: "e agora? Eu usei dois preservativos!" (foi a exigência dela, senão, no way). Bom, com o atraso, abraçamos a causa de "vamos ser pais". A dita desceu no dia seguinte. Em nenhum momento pensamos em abandonar o barco. Aliás, eu sempre me cuidei muito quanto a isso de filho, DSTs etc. Era uma época em que a gravidez na adolescência estava crescendo mais que bolo com fermento Royal devido aos meios de comunicação e a exploração visual.

E eu ajudando às fábricas de preservativo a manter o padrão em que nenhuma gotinha passou, passei por mais uns cinco casos como esse até hoje mas devido a camisinha estourada com cinco ex-namoradas. E em todos sempre fomos claros em cuidar de tudo e não dar as costas, em não entrar em atritos judiciais, tudo em prol do rebento.

Aqui no Peru, para casar é obrigatório um teste de sida. Se um dos dois tiver, o Governo e nenhum cartório autoriza o casamento. Como eu estava tranquilão, passei e casei. Mas eu penso, e se alguma houvesse estourado e gerado um filho? Se fora com uma ex, a sensação é uma coisa, e se fora com alguém fortuita? E se ela engravidasse também? E se ela me contaminasse?

Bom, agora que passou o momento exteriorizando a minha vida bem prosa, penso em inúmeros casos onde os pais, pais lado masculino, dão uma bica na mulher em seu quadro de gravidez... Não é que Katy esteja com aqueeeeeeeeela compreensãoooooo olímpica e haja recuperado-se totalmente do que passou com Mateo, mas em 90% do tempo está buscando estar bem. E eu tô aí, né, dando aquele talento na psicologia diária.


Agú

Gugu-dadá aqui em espanhol é "agú". Zoe põe uma atenção quando nós falamos com ela, uma atenção semelhante aos discípulos na missa do galo dentro da igreja com o Papa Chicão. Papo sério. Depois de uns 5 minutos ela começa a querer interagir... Ahr.. Arf!... Cof... Rrreeee...F.... É emocionante!

"Que vida difícil a minha... Mamãe, mais leite, por favor"
























Eu Maior

Eu sei que a maioria tem filhos e que o tempo urge para cuidá-los, mas eu insisto, assista! Imagino vocês "Eita cara chato, hein". falaê. Aqui ó hehe




PD: Estamos com 499 comentários. O comentário 500 ganha uma surpresa. ;)



Trilha
Strangers in the Night - Frank Sinatra
Fixed Income - Dj Shadow
El Baile de los que Sobran - Los Prisioneros
Mi Enfermedad - Los Rodríguez













Dias caoticamente ordenados



É, rapaz...

Dizem que a vida vira um caos com os filhos. Mas quem me cansa mais até agora seguem sendo os pitacos de como criar minha wawa (uáua – bebê em quíchua) ou a tensão da esposa vencer a síndrome da mãe perfeita. Tanto os dias como as noites hão sido tranquilas se comparamos o inferno que muita gente “aumenta” ou de pessoas que realmente sofrem com um recém-nascido em casa porque cada bebê é um caso.

Mas é necessário ressaltar:

- Não assisto nem o mínimo de TV que assistia antes. Uso esse tempo para dormir. Isso me ajuda muito, pois nunca estive cansado como muitos se sentem.

- Conseguimos sair duas vezes deixando Zoe com a avó peruana. Não deu nenhum trabalho.

- Consegui jogar algo por computador depois de 3 semanas e foi apenas por querer dormir depois.

- Depois de quase três semanas, Zoe balbucia algo em seu idioma para responder. Quando canto para ela, Zoe põe uma atenção impressionante. E se emociona, se mexe depois como uma minhoquinha gorda (sim, já ganhou peso)

- Se houver música ela relaxa que é uma maravilha.  Instrumentais ama: clássica, minimal, Baby Einstein, Baby Go e Rockabye Baby são indicadíssimas. Ah, eletrônico suave também. Estamos agora numa fase Hougaku e Bach (essa versão aqui ó do Jacques Bono com o baixo elétrico é divina).
 
- Massageamos seus pezinhos sempre e ela adora e... Ela se relaxa.

- Zoe não “dá piti” se a o vento faz a porta retumbar na casa, se há cachorro latindo, alarme de carro, nem nada. Dorme placidamente.

- O banho é algo que ela deve gostar pois não reclama. Mas também fica me olhando como se dissesse “eu lembro dessa sensação...”

- Dorme a cada 3 ou 4 horas... Uma maravilha, uma amiga minha que teve filha duas semanas antes que Zoe, me disse que Lia a acorda a cada hora e meia. Pasmem.

Canção em Volta do Fogo

Adoro a frase “e toda noite será, eterna como num sonho”… (Marcelo Hayena). Fotos da mamãe Katy, uma mulher especial como todas, mas para mim é a mais especial de todas. Possessiva mas doce, passou pela prova biológica mais incrível da vida: ser mãe. E para chegar a sê-lo, passou por uma verdadeira batalha psicológica e física.  É ela quem mais cansa com Zoe. Sim, cansa cuidar a um bebê. É lindo, mas cansa pois sua atenção está em tudo que ele reage e temos de “traduzir” as necessidades. Por mais que o ame, nosso corpo pede água, pede banho, pede comida. E para tudo necessita de uma ordem.

Cada mamada no seio materno demanda energia, posição para que o Zoe engula a menor quantidade de ar. Tranquilidade quando Zoe se cansa de um seio (quando está atacada, a criaturinha se transforma numa mini-orca em busca de comida.). Se pudesse, Zoe extrairia sangue (risos).

Parabéns para quem merece mais alegrias ainda, todos os dias de nossas vidas e de sua também.


Pais Mirabolantes!

Há conteúdo novo lá no nosso cafofo digital! Se liga nas paradas: I see blogrolls



Trilha
My Favorite Game – The Cardigans
Canção em Volta do Fogo - Uns e Outros


Pedaço Laura* de gente


Menina do Rio,

aqui é o tio Jorge, ele é um tipo meio doido, daqueles que necessitam de uma caixa de ferramentas Bosh para pôr todos os parafusos do cérebro no lugar. Tio "Rór-re" e tia peruana Katy têm uma amiguinha chamada Zoe (meio ceviche e meio pão de queijo) que deseja um feliz aniversário para você e toda sua família. Um primeiro ano que vai render mais saúde, sabedoria, proteção, mais alegrias e muitas mais brincadeiras. Por muitos e muitos anos.

 A razão de mandar essa mensagem é informar que você tem algumas culpinhas aqui.

Olha Laurinha, você foi autuada, julgada e enquadrada em alguns artigos.
Por semear alegria na casa de seus pais
Por desenferrujar o sorriso de leitores do Coisa de Pai
Por tornar o Rio de Janeiro mais bonito
Por tornar o mundo mais equilibrado
E por plantar a esperança no coração de muita gente.


Um beijinho para você e para sua linda família.

Estimados (as), hoje é aniversário da filha da Juliana e do Leo Vergas. Passem lá e vejam dobrinhas gostosas de morder aqui: O real conto de uma princesa – 1 ano
*Laura é sinônimo de linda no idioma do ENPM as vezes.


PD: Ver-nos-emos um dia no Rio de Janeiro. E está proibido morder essas dobrinhas aí da princesa!


Foto: Leo Vargas - Coisa de Pai





Trilha
Quando as Crianças Saírem de Férias - Roberto Carlos

Você é Linda - Caetano Veloso 


"as arvre somos nozes"


A árvore da vida

Nosso baile começou a alguns meses atrás. E olha, eu diria que foi uma ciranda, hein. Quem participou? Vocês e nós aqui. Aprendi a buscar realmente ser alguém melhor. Conheci casais de múltiplos, de únicos; conheci mães solteiras, mães que perderam seus filhos aos 50 minutos de nascidos, que perderam com semanas de fecundação, e como é a vida, encontrei um casal que passou pelo mesmo que houve conosco, a perda de um dos bebês. Segui a trilha, conheci casais de sexos opostos, do mesmo sexo, inspiradoras, sonhadoras e um par de feministas radicais hehehe. E olha, avistei sinais de homens e seus aventais de super pais, bem machos, mas com uma delicadeza olímpica no coração. Fui convidado, uma honra, até para escrever um blog a quatro mãos com o um cara muito sangue-bom, o Léo. Aprendi desde BPA até US.


Acompanhei alguns nascimentos via web, os relatos de parto foram recheados de paz, de dor, de angústia e em alguns momentos, de indignação.Trazer uma sementinha a esse plano de vida para mim foi um pouco como uma frase do Senna: "você sabe que vai sofrer, mas tem de pensar se vai valer a pena". E valeu. E como! Quando passarmos essa linha, teremos a certeza de haver crescido algo. Eu também cresci com vocês. E o resultado está aqui nesse blog: a árvore somos nós.

No mês do meu aniversário, novembro, nasceram: Elis (Bahia), Maria Carolina (Rio de Janeiro), Luis Gustavo (Pernambuco), Miguel (Rio de Janeiro), "Bambina" (creio que RJ) e Francisco (Rio de Janeiro). Em nossa próxima viagem a cidade maravilhosa, nos veremos na Praia Vermelha, ok? (risos) E mais, como se fosse uma simpatia, meio que uma aposta, por Zoe haver nascido no dia do mesmo aniversário dela, ganhei uma camisa do Boston Celtics de Ritinha,  do Melancia na Barriga, uma brasileira que vive em Boston.

Zoe 30 dias

Foto da festa da mamãe e de Zoe em seu primeiro mês de vida fora da barriga, último dia 29/11, uma sexta-feira (soa estranho, mas ela já era vida dentro). Foi uma festa bacana, mas foi um deuznozacuda também. É uma mistura de aniversário com "quero ver sua filha" rs. Quase dei uma voadora com os dois pés numa pessoinha que tacou o flash na cara da minha curumim... Fora isso, fomos dormir à 1 da manhã porque alguns caras de pau queria passar a madrugada tomando em casa. Passei pela sala com Zoe dormida e bocejando até ouvir o esperado: "Galera, hora de vazar".

Minhas princesas






































Trilha
Metamorfose Ambulante - Raul Seixas
Computer Weekend - Jean Michel Jarre
Royals - Lorde




Pais Mirabolantes: O sexo depois


Tem conversa nova entre os pais mirabolantes lá no nosso cafofo digital.
É de interesse coletivo (risos). Aqui ó.



























Trilha
O Amor (Zero Sobrevivente) - Tom Bloch

Sigam-me os bons

Os escolhidos

Os escolhidos
Sim, porque eles nos escolheram.

Quem sou eu

Minha foto
Nasci em 1976 em São Paulo/Brasil - Brasil. Vivo em Lima/Peru. São-paulino, jornalista e pai de Zoe, minha amada filha com minha doce Katy, peruana de Lima. Sou um cara que escreve sobre experiências, crônicas e tudo que se relacionou com a gravidez múltipla dela e crescimento da filhota. Na semana 34 tivemos a ida de Mateo de volta ao paraíso. Zoe ficou para ilustrar nossa vida num 29/10/2013 e nasceu com 36 semanas. Uma prematurinha linda que cresce saudavelmente.

Seguidores