O futebol e o basquete


O Futebol

Se a gravidez dela fosse um filme, eu não saberia dizer, mas se fosse uma competição esportiva, seria o campeonato brasileiro. Começa mansinho e depois afunila, um ode ao esforço físico e mental, onde a família, amigos e pitaqueiros (as) são a torcida. Para o bem ou para o mal. Dependendo do caso, a gravidez se enquadra com algum time. O campeonato começou tranquilo, uma barriguinha saliente apareceu com uns seis dia, era quase nada, mas havia algo onde não havia nada antes. Tudo era curiosidade, né. Adjetivos mil apareciam. Expectativas dez mil também. Era a primeira vez que entrávamos a um campeonato tão intenso. Há muitos times famosos, alguns que já levaram seu trófeu, que possuem um bicampeonato, tricampeonato etc. E nós, vindos da várzea, desses dignos do Desafio ao Galo de domingo, tínhamos a oportunidade da vida. Bom, nos inscrevemos. Não havia uniforme mas se jogava com duas bolas (Desculpe, meninas, mas o trocadilho é necessário - risos), maneira impensável para muitos, mas nesse campo, fluia naturalmente. Não sei quem deu o passe, ou quem alçou com um cruzamento, o bandeirinha estava sussa mas viu que eu não estava em impedimento. Lembro que cabeceamos juntos (Enfâse a que foi pensado e de comum acordo amoroso). E olha lá, entramos num grupo de classificação. O campeonato seguia O eloquente preparador físico disse à jogadora Katy, "você tem uma saúde que parece que tem seis pulmões". Mas Katy subiu um pouco de peso e o preparador avisou, "Ronaldinha, pega leve". Sendo assim, Katy diminuiu as rotações da mandíbula para não ter complicações para ela e muito menos para os mascotes do time. A mesma mensagem chegou a mim, "Sr. para chegar ao tempo extra e penalidades máximas, melhore seu rendimento". Eu gostava de estudar quem enfrentaríamos em campo. Estamos há seis jogos de levar o campeonato e levar um troféu, o do amor, e duas medalhas postas no coração. Em 2014 espero que possamos levá-los pelo menos para estar com a família verde-amarela, já que aqui, família rubrobranca terão a vantagem de vê-los primeiro.


O Basquete

Meu sonho profissional era de ser jogador de basquete. E como jornalista, consegui sê-lo. Em vez de um gol, minha esposa e eu fizemos uma cesta da linha dos três pontos, tomamos uma falta com direito a lance-livre que foi convertido: eram quatro óvulos fecundados, ops quatro pontos. A Confederação dos Anjos pediu avaliação e somente dois pontos foram validados. E ganhamos da NBA da vida, um presente que será mais que amado.




Não, eu não assisto futebol enquanto ela faz crochê.


PD:

Esta semana fizemos o contrato e pagamos (ouch) pela coleta células-troco de Zoe e Mateo. O banco de coleta fica aqui em Lima. Havia a opção de fazer por esse famoso banco de células de Boston, mas ficava US$ 1.000 a mais para fazer praticamente o mesmo procedimento. Há pessoas que compreensivelmente não fazem, outras, sim. Optamos pelo "sim". Já temos nossos kits de células-tronco e o obstetra credenciado fará a coleta. É esperar.










Trilha
Minha Namorada - Tom, Vinicius, Toquinho e Miúcha
Dont Believe the Hype - Public Enemy
Down - Suede
Cross Road Blues - Robert Johnson
As Rosas Não Falam - Cartola

3 comentários:

  1. HAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHA..mas que torcedor fanático!! Adorei!! E eu não entendo nada de futebol..nem de basquete...mas a emoção aconteceu mesmo sem compreender alguns termos, sorry!
    Nós aqui tb optamos pelo banco...pelo sim, pelo não, ficamos mais seguros com o sim, sei lá...
    Que bom que a Katy tá "segurando" os cestinhas!! Que ela chegue ao máximo possível!! Ansiedade em grau, papai??

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que legal esse registro! Ainda não tinha lido nada sobre papais registrando gravidez (na verdade, nem tinha pesquisado sobre)! Que suas duas medalhinhas cheguem com muito brilho e completem com tanto amor!
    Parabéns!
    Abçs

    ResponderExcluir
  3. Jorge uma linda forma de dizer que você ama seus filhos de uma forma bem original, quem sabe diria de uma forma bem masculina.
    Nossa eu quis muito guardar células-trocos das minhas meninas, mas não tinha na época aqui em Manaus, agora já tem 1 laboratório que faz isso :(.

    Tri-beijos Desirée
    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Sigam-me os bons

Os escolhidos

Os escolhidos
Sim, porque eles nos escolheram.

Quem sou eu

Minha foto
Nasci em 1976 em São Paulo/Brasil - Brasil. Vivo em Lima/Peru. São-paulino, jornalista e pai de Zoe, minha amada filha com minha doce Katy, peruana de Lima. Sou um cara que escreve sobre experiências, crônicas e tudo que se relacionou com a gravidez múltipla dela e crescimento da filhota. Na semana 34 tivemos a ida de Mateo de volta ao paraíso. Zoe ficou para ilustrar nossa vida num 29/10/2013 e nasceu com 36 semanas. Uma prematurinha linda que cresce saudavelmente.

Seguidores