Quando a chinela canta


Antecipando que é meu ponto de vista: não vou dar nem palmadinha (também sou contra) em meus filhos. Se você, caro leitor (a) amigo (a) aplicar tais práticas tipo "um tapinha não dói", não me meto. Mas se eu vir alguém agredindo a uma criança, eu salto na jugular do pai, chamo a polícia e até o Ratinho. Eu não tenho paciência de pensar "vou ou fico aqui parado*", acredito que se a oportunidade de ajudar aparecer, por que ficar de mero telespectador? Eu sei, não é meu filho, mas é um ser humano indefeso contra alguém psicologicamente desequilibrado. Minha mãe me deu umas palmadas leves, mas algumas vezes era engraçado, pois ela ameaçava com sanguenozoio, mas amansava a palmada no final e alisava os cabelos pedindo desculpas por gritar. Mas dizia "você me tira do sério, você queimou o quarto da minha madrinha". É, eu era terrível - risos. Meu pai nunca levantou a mão para mim. Aqui no Peru rolam umas palmadas entre os pais, mas observo que em um grau muito, mas muito mais baixo que no Brasil. Acredito que a falta de controle leva a uma criança capaz de desestabilizar aos pais. Tenho amigos em São Paulo com pais que tinham dificuldade para manter seus filhos sob controle, o pai de um deles chegou a a agredir a um amigo com a mangueira do chuveirinho. E você diz "ah, Jorge, seu amigo era alguém com poucos recursos". E eu respondo "não", seus pais têm curso universitário (o que ajuda, mas não torna alguém melhor ou pior que outra pessoa) um engenheiro e a mãe professora de pedagogia" (pasmem). E sem contar com um amigo, estudante da ESPM que saiu nos tabefes com o próprio pai... A instabilidade familiar gera cenas dignas de um filme de Tarantino e traumas eternos.


Katy

Deixou há algumas semanas o ácido folico e está a tomar um complexo vitaminado indicado por nosso médico. Ainda que tenha um cheiro a baunilha, somente toma se tiver cravo da Índia, açúcar e as vezes um pouco de chocolate hehehe. Ambos continuam a modelar a barriga da mãe de dentro para fora. E o mais legal! Posso "colar" o ouvido na barriga e ouvir seus coraçõezinhos!

PD: 31 semanas por Katy, 32 semanas pelo "us".


São Cosme/ São Damião e Flavia nasceu!

No dia de São Cosme e São Damião, pedi para que proteja aos meus curumins e aos de todas vocês (óbvio, a todas as Desejantes e Tentantes). Ah, sexta-feira nasceu Flávia, filha de Pamela, amiga querida peruana. Flávia foi "enviada ao forno" quando fomos a passar o réveillon 2012-2013 em Boiçucanga-SP (Inesquecível), entre amigos peruanos, brasileiros, Katy e eu.